A+ A A-
29-11-2017

Frente Mineira traça novas ações contra a reforma da Previdência

Avalie este item
(0 votos)

Os representantes da Frente Mineira Popular em Defesa da Previdência Social — coordenada pela ANFIP-MG — reuniram-se, nesta segunda-feira (27/11/2017), na sede da Associação, para definir ações que visam ajudar a barrar a PEC 287/2016 (reforma da Previdência) e as mentiras ditas pelo governo em sua nova campanha publicitária sobre o tema.

A principal ação decidida pela Frente Mineira é a participação na greve geral do dia 5 de dezembro, na Praça 7 (centro de BH) e a montagem de uma tenda de atendimento previdenciário no local. No atendimento — que será realizado por servidores do INSS — os cidadãos poderão fazer simulações e já sair de lá com a solicitação de benefício protocolada. Isso porque os atendentes têm a possibilidade de acessar o sistema por meio de aplicativo, no telefone celular.

Contudo, os dirigentes das entidades que compõem o coletivo entraram em consenso que é fundamental contrapor a propaganda maciça do governo, que está no ar desde 17 de novembro e ataca frontalmente os servidores públicos.

Segundo informações da Folha de São Paulo, o Congresso autorizou o repasse de R$ 99 milhões para a campanha. E o foco é atacar os supostos privilégios dos servidores públicos com vistas a conquistar a opinião pública, nos mesmos moldes do que foi feito durante a reforma Trabalhista, com menção ao fim da contribuição sindical. A propaganda sobre a reforma da Previdência diz que "tem muita gente no Brasil que trabalha pouco, ganha muito e se aposenta cedo".

No entanto, o comercial é completamente falacioso e a ANFIP, em conjunto com o Fenafisco, já ingressou com uma ação pedindo sua suspensão (veja aqui). Na matéria, a Associação Nacional informa que "os servidores públicos ao longo dos últimos anos já foram submetidos a ajustes do sistema de aposentadorias e pensões por meio de emendas constitucionais e leis". Além disso, eles contribuem com a maior alíquota previdenciária sobre toda a sua remuneração e não contam com direitos trabalhistas [sobre isso, ver campanha da ANFIP aqui], como os trabalhadores da iniciativa privada, estando sujeito a todo tipo de ingerência por parte dos governos.

Paralelamente — conforme ficou acertado na reunião de ontem — a Frente Mineira apoiará a campanha com outdoors e backbus, do Sitraemg, a qual expõe os parlamentares que votaram contra os direitos dos trabalhadores. Também será produzido um "caródromo" com eles, para ser distribuído à população.

Ainda será produzido um novo panfleto com informações sobre a PEC 287/2016 e, dando continuidade às ações feitas anteriormente, serão distribuídas as cartilhas informativas sobre os impactos da reforma tanto para os trabalhadores da iniciativa privada quanto para os servidores públicos, contendo a Emenda Aglutinativa à PEC 287A, apresentada pelo governo no dia 22/11/2017.

Por fim, ficou definido que serão enviadas cartas para deputados federais mineiros e também para prefeitos e presidentes das câmaras municipais dos redutos eleitorais desses deputados, informando que, com a aprovação da reforma, a circulação de dinheiro nas respectivas regiões irá cair. O que é um problema, já que, na maioria dos municípios, o que impulsiona a economia local é o dinheiro gasto por aposentados no comércio.

Na reunião, representantes do Sitraemg aproveitaram para divulgar e convidar para o ato público a ser realizado hoje (28/11), em frente à Justiça Federal, ocasião em que os manifestantes contestarão o aumento da contribuição previdenciária de 11% para 14% (MP 805/2017) e a propaganda do governo sobre a reforma da Previdência, entre outras mazelas impostas pelo governo.

Última modificação em Quinta, 07 Dezembro 2017 08:16
Rua Carijós 150, 7° andar - Centro - 30120-060 - Tel: 31-3201-3582 - Belo Horizonte - MG

Copyright by ANFIP-MG 2013. Todos os direitos reservados.

TPL_GK_LANG_LOGIN

Log in to your account or Criar uma conta

TPL_GK_LANG_REGISTER

User Registration
or Cancelar